04 abril 2014

Amargator IPA


Como contei no ano passado, a cena cervejeira no México anda agitada. Boas produções começam a se destacar por lá, dentre elas, a Amargator IPA, na Cerveceria La Chingonería. Seguindo o estilo Imperial India Pale Ale, a receita usa também folhas de abacate, folha santa (hoja santa, bem típica por lá) e abacate. É bem interessante, com notas frutadas, adocicadas e bom amargor. Tem 9% de álcool.

02 abril 2014

Samuel Adams Hopology Latitude 48 IPA


A série “Hopology” foi lançada pela Samuel Adams para mostrar a ação de diferentes lúpulos em cervejas do estilo India Pale Ale. São seis versões. Provei a Latitude 48 IPA, produzida apenas com lúpulos cultivados perto da latitude 48, de regiões da Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos. As variedades usadas foram Hallertau Mittelfrueh, East Kent Golding, Zeus, Simcoe, Ahtanum e Mosaic.
Com 6% de álcool, a cerveja tem alto drinkability e é extremamente aromática, com amargor presente, mas bem agradável. Notas carameladas de malte escoltam bem os lúpulos. Bela cerveja!

31 março 2014

Santa Mala dos Amigos: Fuller’s Brewer’s Reserve Nº4

Esta é a quarta edição da série Brewer’s Reserve (reserva dos cervejeiros) produzida pela cervejaria inglesa Fuller’s. Tive a oportunidade de beber a edição número 1 – maturada em barris de uísque- e a dois, maturada em barris de conhaque.
A edição atual matura por um ano em barris de carvalho antes usados para armazenar o Armagnac Comte de Lauvia. Com aroma bastante complexo, a cerveja lembra notas de ameixas secas, cítrico, madeira, melaço e condimentos. No paladar baunilha, frutas (pêssego, maçã), caramelo e leve condimentado. Tem 8,5% de álcool. Belíssima cerveja!

26 março 2014

Anchor Brewing


A cervejaria americana Anchor é um dos ícones do “renascimento” cervejeiro nos Estados Unidos. Sua história começa em 1849, em meio a corrida do ouro em São Francisco, quando o cervejeiro alemão Gottlieb Brekle chega à cidae com sua família. Ele decide montar uma cervejaria no local, e em 1871 abre a “American Brewery”, que anos mais tarde seria rebatizada por Anchor.
O incêndio causado pelo grande terremoto de 1906, que devastou toda a cidade, também atingiu a cervejaria, que teve que mudar de endereço no início de 1907. Em 1920, com o inicio da Lei Seca nos Estados Unidos, a Anchor para de produzir. Volta apenas em 1933, quando muda de endereço mais uma vez e seu proprietário Joe Kraus volta a produzir a Anchor Steam, uma das mais conhecidas marcas da cervejaria. Em 1959, mais problemas. Com baixas vendas por causa da proliferação de “light lagers” no mercado, a cervejaria encerra suas atividades. Já em 1960 Lawrence Steese compra os equipamentos da Anchor, e mais uma vez em novo endereço, reabre as operações. Cinco anos depois os negócios continuam indo mal, porém surge Fritz Maytag, um jovem que com a intenção de preservar o patrimônio histórico e cervejeiro da Anchor, compra 51% do negócio e injeta dólares importantes para sua retomada. Em 1971, cem anos após o inicio de suas atividades, a Anchor volta a engarrafar Anchor Steam, e lidera o movimento de renascimento da cerveja nos EUA, se tornando uma das referências no setor.



Fermentação e maturação

Em fevereiro deste ano estive em São Francisco  para um tour cervejeiro. Um dos destinos certamente era a Anchor Brewing, que tem uma das mais concorridas visitas no mundo cervejeiro. Ao menos três meses de antecedência são necessários para o agendamento. Tive a sorte de estar com o amigo Pete Slosberg, que não só conseguir agendar minha visita em cima da hora, como conseguir um tour vip e com os cervejeiro da Anchor, com direito a conhecer a destilaria, que produz um belo uísque, uma vodka lupulada e dois tipos de gin.
Destilados
A cervejaria é realmente linda. Tanques de cobre, fermentação aberta e uma incrível adega de fermentação e maturação estão dentre as mais legais que já vi. Ao final, muita degustação, com direito a Liberty Ale em chope, incrivelmente fresca! Portanto, se você tem planos de ir a São Francisco, agende sua visita!
Liberty Ale fresquinha!
Belo bar em madeira, onde são feitas as degustações
 

21 março 2014

The Rare Barrel - a Sour Beer Co.

-->
Você gosta de sour beers? Se a resposta é sim, você tem que conhecer esse lugar. Se a sua resposta for não, você deve conhecer esse lugar!
A The Rare Barrel – A Sour Beer Company, está localizada na cidade de Berkeley, Califórnia, bem perto de San Francisco. Como o nome diz, a especialidade do lugar são as cervejas azedas, em inúmeras variações. Curiosamente eles não produzem cervejas por lá. Eles compram de outras cervejarias e em sua enorme adega apenas inoculam microorganismos específicos e acondicionam a bebida nos mais variados barris, por onde maturam entre seis meses e três anos. Degustei 9 sour beers diferentes no “Tasting Room”, uma mais impressionante que a outra. Vale se atentar aos horários de funcionamento no site da cervejaria e marcar a sua visita. Garanto que vale a pena!
Muitos barris!

Tasting Room - Dá pra passar horas aqui!

A boa notícia é que eles estão começando a engarrafar, e em breve estas delícias estarão disponíveis no mercado!

14 março 2014

Festival Brasileiro da Cerveja 2014 - O que beber na festa? Parte 2


Na noite de ontem pesquisei mais algumas boas opções de degustação no Festival Brasileiro da Cerveja. Elas se juntam às dicas que passei ontem. Hoje ainda irei a noite do festival, e vou em busca de mais coisa!
Bamberg
Vale a pena começar suas degustações com a deliciosa helles defumada Franconian Raphsody, servida em chope no stand.
Liga das Cervejas Extraordinárias
Dentre as três opções que a DUM dispõe no evento, fui de Double Wit, que ainda não conhecia. Me dei bem!
Seasons
A XXXPA está deliciosa. Aproveite, pois é lançamento no evento, servida em chope.
Baldhead
A India Pale Ale está incrível. Uma das degustações obrigatórias no evento!
Invicta
Seguindo a linha das IPAs, vá na porrada da 1000 IBU. Em chope ela consegue ser mais potente ainda!
Gelataio
Pra encerrar, que tal um bom sorvete com cerveja, pra não sair do tema? Eu fui de Bodebrown Cerveja do Amor. Bem bom!

13 março 2014

Festival Brasileiro da Cerveja 2014 - O que beber na festa?


Vai no Festival Brasileiro da Cerveja? Seguem algumas dicas para a sua degustação de hoje. Amanhã volto com mais!
Wäls
A belíssima Session é perfeita pra iniciar os trabalhos por aqui. Ou até pra passar a noite na mesma cerveja!
Way Beer

Prove a IPA fermentada 100% com brettanomyces e a “raquetada” de harmonização das novas Sour Beer com chocolates.
Schornstein
Beba a Blanche de Maison, bela witbier lançamento da cervejaria no evento.
Liga das Cervejas Extraordinárias
"Junka" e sua cervejas. Não deixe de provar!
Aqui tem muita coisa boa. Comecei com dois lançamentos da Morada: Hop Arábica – blond ale com café- e Gasoline Soul.
Bodebrown
Pra fechar a conta, vá de 4 Blés maturada em barril francês. Um espetáculo!

27 fevereiro 2014

Harmonizações Perfeitas: Costelinha Suína na Cerveja com Brewdog Punk IPA


Sabe aquela costelinha de porco que desmancha, solta do osso fácil e é muito macia? É isso o que você vai preparar com essa receita! Tempere a costelinha com sal e pimenta-do-reino. Coloque em uma vasilha junto com três dentes de alho esmagados, louro, alecrim, tomilho, uma pimenta dedo de moça picada, meia xícara de vinagre tinto e cubra tudo com cerveja. Deixe marinando na geladeira de um dia para o outro.
Agora vem o segredo: pegue um saco especial para assar em forno. Coloque a costela e uma xícara da marinada. Verifique o sal da carne, e se necessário, corrija. Feche o saco e leve ao forno a 180C por uma hora. A parte, cozinhe algumas batatas, sem deixar ficarem muito moles. Coloque as batatas no fundo da assadeira e por cima a costelinha, já fora do saco. Deixe mais 15 minutos em forno alto para dourar. Bom apetite!
Para harmonizar, minha escolha foi uma Brewdog Punk IPA. Notas carameladas de malte perfeitas para combinar com a carne assada, dulçor residual que encontra notas semelhantes na carne suína e amargor na medida certa pra contar a sensação de gordura do prato.

18 fevereiro 2014

Cerveja em Miami

Miami não figura dentre os destaques da cena cervejeira americana. Lá imperam as cervejas suaves e sem gosto e drinks adocicados típicos de baladas. Porém, não é difícil encontrar boas cervejas, principalmente Samuel Adams e Sierra Nevada.

Estive por lá no começo do mês. Como em todas as minhas viagens, sai para explorar a cena cervejeira local. E encontrei muita coisa boa, mesmo ficando poucos dias na cidade. Selecionei algumas de minhas melhores experiências, que podem ser visitadas mesmo em meio aos malucos dias de compras, normalmente programa principal no destino.

Hambúrguer e Cerveja
Quem acompanha meu trabalho sabe que sou fã dos hambúrgueres. E nos EUA encontramos alguns dos melhores. Nos três endereços a seguir, come-se ótimos burgers e bebe-se belas cervejas.
Shack Meister - Exclusividade da Brooklyn pro Shake Shack


Shake Shack – a rede de Nova Iorque chegou em Miami ha alguns meses. Tem 3 unidades, onde servem hambúrgueres no estilo mais “fast food”, porém muito saborosos. E por lá você vai encontrar a Shack Meister, cerveja exclusiva da casa, produzida pela Brooklyn Brewery. Fui na loja de Coral Gables, mas eles também tem em Boca Raton e South Beach. 1450 South Dixie Highway (US1) - Coral Gables, FL 33146
Umami Burger
Umami Burger – certamente é um dos melhores hambúrgueres de minha vida. Alto, no ponto certo -sempre peço mal passado- e num ambiente muito legal. Além disso, 13 opções de garrafas e 13 na torneira, como a fresquíssima Stone IPA, que regou a minha noite. 1080 Alton Rd, Miami Beach, FL 33139 

Burger & Beer Joint – bons hambúrgueres, ótimo fish & chips e dezenas de cervejas, tanto na pressão como em garrafas. Em Miami são duas lojas. Eu fui em South Beach. 1766 Bay Road Miami Beach, FL 33139

Bares cervejeiros


Titanic Brewery – agradável brewpub com boas opções para petiscar. As chicken wings agradam muito! São o mais antigo brewpub da cidade. Dentre as 12 opções produzidas na casa, vá de White Star IPA. Sempre existem torneiras convidadas. 5813 Ponce De Leon Blvd, Coral Gables, FL 33146

The Abbey – perto da famosa Lincoln Road, o bar serve doze opções na torneira, sendo 4 exclusivas da casa. Tem também algumas opções em garrafa. 1115 16th St., Miami Beach

Cervejaria




Funky Buddha – ela não fica em Miami, mas em Oakland Park, que é cerca de meia hora da cidade. Vale muito conhecer o local, não só para o tour na fábrica, mas também para beber as dezenas de cervejas ali produzidas, na descolada tap room. Outra atração são os food trucks que estacionam na porta da cervejaria. Você pode ir lá, comprar sua comida e consumir dentro do tap room. Visita obrigatória! 1201 NE 38th Street, Bay A1 Oakland Park, FL 33334
-

Compras
Total Wine – apesar do nome, é também um paraíso cervejeiro. Digo também, pois lá além de vinhos e cervejas, encontra-se tudo em uísques, gins, vodkas, etc. Dá uma olhada no corredor de cervejas na imagem acima! Novidades, raridades, as tradicionais, tudo! São três endereços em Miami. A que eu fui, e tem esse corredor ai de cima, é essa: 8851 SW 136th St - Miami, FL

Sunset Corners – menos opções que a Total Wine, mas dá pra garimpar bons rótulos por lá. Vale se estiver com mais tempo. 8701 SW 72nd St, Miami, FL 33173

16 janeiro 2014

Harmonizações Perfeitas: Camarão Alho e Óleo na grelha com Duvel Tripel Hop


Essa é uma harmonização fácil e muito saborosa. Peça para o seu peixeiro camarões rosa grandes e frescos (cuidado para não usar camarões já cozidos) preparados para grelha, ou seja, sem cabeça, com casca e já limpos.
Acenda a churrasqueira e deixe o carvão em brasa, sem chama. Corte uns 6 dentes de alho em pedaços bem pequenos. Tempere os camarões com sal e pimenta-do-reino moída na hora e espalhe o alho picado por eles. Prepare uma assadeira com 200ml de azeite de oliva extra virgem de boa qualidade e uns 50g de manteiga em cubos. Leve os camarões ao fogo. Cerca de um minuto e meio de cada lado. É rápido mesmo! Tire os camarões e coloque na assadeira. Misture bem e sirva, acompanhado da Duvel Tripel Hop. As notas cítricas dos lúpulos da cerveja combinam muito bem com o camarão, enquanto sua força alcoólica corta a sensação de gordura UE tanto a carne quanto o molho deixam no paladar.  Refrescante, saboroso e com cara de praia!

07 janeiro 2014

Struise Black Damnation I – Black Berry Albert

-->
Sempre começo o ano brindando com uma boa cerveja.  No ano passado foi a americana Old Rasputin. Em 2012 a Pannepot Grand Reserva 2005, em 11, a holandesa Niuw Ligt Grand Cru 2005, em 10, Samuel Adams Utopias 2009, em 2009, Westvleteren 12 e no primeiro ano onde comecei a minha “tradição”, Westvleteren 8.
Neste ano escolhi a belga Struise Black Damnation I – Black Berry Albert, primeira edição de um projeto de 12 cervejas especiais que a cervejaria lançou. Algumas maturavam em madeiras, outras eram blends, e assim por diante. A base sempre foi a Black Albert, Imperial Stout com 13% de força alcoólica. Esta versão tem adição de amoras e matura por um ano em barril de Porto.
Comprei a garrafa em minha visita à Struise, durante minha última Trappist Tour. Edição especial em garrafa silkada de 750ml. O álcool aparece com força, tanto no aroma quanto na boca. No aroma ainda são encontradas notas de café, frutas vermelhas, chocolate e alcaçuz, que se repetem no paladar. Ela é bastante complexa e densa, e deve acompanhar bem uma sobremesa com chocolate. Tenho ainda as garrafas das series II e III. Será que vou esperar 20015 e 16?

27 dezembro 2013

As Melhores Cervejas de 2013


Desde 2006 publico aqui a minha lista das melhores produções nacionais do ano. Não são necessariamente lançamentos, mas sim cervejas que marcaram o meu ano. Este é o oitavo ano que faço a lista, e – felizmente- o ano mais difícil de escolher. São muitas as boas opções vindas do mercado nacional, o que mostra não só o crescimento em volume, mas também em qualidade das produções nacionais.
Apesar da dificuldade em escolher, um nome era certo toda vez em que eu pensei sobre as cervejas do ano. Bodebrown/Stone Cacau IPA. Confesso que quando soube da idéia, não botei muita fé. Mas foi só sentir o aroma desta cerveja para ver que eu estava completamente enganado. Que combinação! Que cerveja!
Também de Curitiba, a Jan Kubis, da moçada da DUM que chamou a atenção no final do ano, quando passou a ser distribuída em São Paulo. Passou fácil para a lista de minhas cervejas do dia-a-dia. Fácil de beber, mas cheia de personalidade, e com uma lupulagem deliciosa!
Outra que passou a ser uma de minha dia-a-dia foi a O Calibre, produzida pela Bamberg em homenagem aos 30 anos da banda Os Paralamas do Sucesso. German Pilsner bem executada, daquelas que dá pra passar o dia tomando.
E pra fechar a lista, Morada Double Vienna, de Curitiba. Alem de mostrar que a cidade é a “bola da vez” na cena cervejeira, com grandes produções e muita coisa acontecendo, a cerveja é potente, amarga da medida certa e muito saborosa. Fora o rótulo, genial!
Tenho certeza que 2014 me trará muito mais trabalho pela frente! Feliz ano novo!